Arquivo mensal: julho 2016

Taxa de reciclagem em Curitiba apenas 6%

A “Band TV” Curitiba na edição do dia 04/07/2016 realizou uma entrevista com o Prof. Christian Luiz da Silva, pesquisador líder do estudo “Observatório da PNRS – Monitorando a Política Nacional de Resíduos Sólidos“. Veja o video aqui:

Professor aponta em estudo que Curitiba diminuiu a geração de resíduos, mas ainda recicla pouco (Notícias UTFPR)

A geração de resíduos em Curitiba foi reduzida em 10% — no período entre 2008 e 2014 — passando de 0,98 kg para 0,88 kg por pessoa, por dia, em média. Esse é um dado positivo e está alinhado com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). No entanto, a alta taxa de reciclagem, outra diretriz da PNRS, ainda está distante do ideal, como acontece na maioria dos municípios brasileiros. Apesar da coleta seletiva, uma ínfima parte, apenas 5,7% de todos os recicláveis, é efetivamente aproveitada na capital.

Os dados estão em estudo realizado pelo professor Christian Luiz da Silva, dos programas de pós-graduação em Tecnologia e Sociedade (PPGTE) e de Planejamento e Governança Pública (PPGPGP), disponível no site https://observatoriopnrs.org. O estudo propõe e discute mais de 30 indicadores sobre a gestão integrada de resíduos sólidos urbanos de Curitiba e tem como objetivo ampliar o debate entre sociedade, governo e empresas sobre este tema cada mais relevante para os municípios.

Desenvolvido com o apoio do CNPq e do Observatório da Política Nacional de Resíduos Sólidos, o estudo mostrou ainda que o custo por habitante da limpeza urbana aumentou 47%, em termos reais (já tirando o efeito da inflação), entre 2008 e 2014 (R$ 85 e R$ 125 por ano por habitante, respectivamente). A pesquisa indica, segundo Christian, a necessidade de uma política de educação ambiental contínua e maior integração da sociedade com toda a cadeia de resíduos para dispor de mais materiais para reciclar. “Aumentar a reciclagem é bom para todos: reduz custo, preserva ambiente e permite a inclusão social de muitos trabalhadores”, afirma o pesquisador.

O estudo relativo a Curitiba integra pesquisa mais ampla que pretende avaliar os planos municipais de resíduos em todas as capitais brasileiras. O objetivo é checar se os municípios atendem às premissas da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

 

Anúncios

O Desafio da Reciclagem em Curitiba: “Lixo que não é Lixo”

Um relatório técnico sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) elaborado por nossos pesquisadores, demonstra tendências sobre a geração e a reciclagem do lixo que geram os cidadãos curitibanos.

O estudo, feito pelo professor Christian Luiz da Silva, compara a situação de Curitiba com outras quatro capitais de porte populacional semelhante. A taxa de reaproveitamento do material reciclado é a segunda pior, atrás apenas de Recife (43,35%). Em Belém e Manaus, onde os catadores têm papel relevante e já fazem separação seletiva na coleta, a taxa de reaproveitamento é de quase 100%.

Leia o artigo completo aqui:

Apesar da fama do Lixo que não é Lixo, Curitiba recicla apenas 5,7% do que é coletado (Gazeta do Povo)